Lanzarote Museo Atlantico

MUSEO ATLÂNTICO

O primeiro museo de arte subaquático da Europa.

O Museu Atlântico é um dos nove centros de visitantes premiados de Lanzarote, contribuindo para que a ilha seja considerada Reserva Mundial da Biosfera.

Concebido e criado por Jason DeCaires Taylor, o contexto subaquático do museu oferece uma atmosfera única de tranquilidade e reflexão sobrenatural.

MUDANÇAS POSITIVAS

Pequenas mudanças podem ter um grande impacto.
Leia abaixo como o Museu Atlântico Subaquático de Lanzarote desperta a consciência ambiental enquanto faz um comentário social através de cada uma das esculturas subaquáticas.

Photo Op | Underwater photos and diving Lanzarote

O MUSEU

Situado em Playa Blanca, na costa sul da ilha Canária de Lanzarote, o Museo Atlántico é o primeiro museu subaquático da Europa.

Com o objetivo de criar um forte diálogo visual entre arte e natureza, o artista britânico Jason deCaires Taylor criou mundos subaquáticos misteriosos onde a arte evolui como consequência temporal dos efeitos da natureza. Jason passou dois anos a criar as esculturas que foram afundadas na Baía de Coloradas. O projecto completo levou mais de três anos a ser planeado e construído. O museu subaquático de Lanzarote foi oficialmente inaugurado em 10 de Janeiro de 2017, embora esteja aberto ao público desde Março de 2016.

“Apelidamos de museu por uma razão muito importante. Museus são locais de preservação, conservação e educação. São lugares onde mantemos objetos de grande valor para nós, onde os valorizamos simplesmente por serem eles mesmos.”
Jason deCaires Taylor – TED Talk

Dive with the fish and underwater statues Lanzarote

CONSCIÊNCIA AMBIENTAL

Os museus subaquáticos expõem um público mais amplo à ecologia marinha. Têm uma função educativa e incentivam a reflexão sobre o meio ambiente e o papel que os humanos podem desempenhar para garantir a sua saúde ou destruição.
As esculturas são feitas de cimento de grau marítimo não tóxico, com pH neutro e livre de poluentes nocivos. Este cimento é altamente durável, com uma textura que incentiva as larvas de corais a se prenderem e prosperarem, por sua vez os recantos e buracos abrigam peixes e crustáceos.
Projectado para criar um recife artificial de grande escala, as esculturas instaladas em Lanzarote em Fevereiro de 2016 registam já um aumento de mais de 200% na biomassa marinha! Agora são frequentados por tubarões-anjo raros, cardumes de barracudas e sardinhas, polvos, esponjas marinhas e a ocasional raia. Cerca de 40% dos recifes de coral naturais perderam-se nas últimas décadas e o World Resources Institute projeta que 90% dos recifes de corais estão em perigo até 2030, e 100% até 2050. Estes são números assustadores que destacam a importância dos museus submarinos

IMPACTO SOCIAL

O Museu Atlântico foi concebido como um lugar para promover a consciência ecológica, educar, preservar e proteger o ambiente marinho e natural como parte integrante do sistema de valores humanos.
Visitar o museu subaquático de Lanzarote oferece aos visitantes a oportunidade de ampliar sua mente e educar-se em áreas que normalmente estão fora da vida cotidiana, de maneira segura e não destrutiva. Adicionalmente, o contexto subaquático oferece uma atmosfera de reflexão sobrenatural sobre o comentário social feito através dos das figuras em cada instalação.

O museu também traz benefícios económicos através do turismo de mergulho e da criação de emprego para guias que levam os visitantes às galerias submarinas, quer seja para mergulho em alto mar, snorkelling ou em barcos com fundo de vidro.

Real life models used to make the sculptures

AS ESCULTURAS

O Museo Atlántico compreende 10 instalações de grande escala com mais de 300 esculturas individuais, projectadas para criar um habitat marinho para espécies endémicas, bem como desenvolver a consciência social sobre ecosistemas.
As figuras são parte de um reino subaquático que através da fantasia e imaginação permite aos visitantes sair da sua vida diária e mergulhar numa realidade completamente diferente!

O material usado na criação das esculturas subaquáticas é inofensivo para o meio ambiente e desenhado de modo a para criar um recife artificial que incentive o florescimento da vida marinha na área. As formações são adaptadas à vida marinha endémica, ocupando uma área de leito de areia estéril de 50m2.

Cada obra de arte é trazida à vida através de sua união com a vida marinha biológica que se a ela se liga e dela prospera. Uma verdadeira simbiose entre os organismos vivos e as esculturas.

Reveja cada escultura e Instalação.